Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

O VELHO LOBO, A DONA ONÇA E AS HIENAS.

Numa floresta encantada de um distante reino, vivia um velho lobo cansado, porém astuto e poderoso. Apesar de não ter mais suas afiadas garras de outrora, nem seu faro apurado, preservava um uivo manso e grave capaz de hipnotizar os bichos mais desatentos. Vez por outra, o velho lobo fazia compromisso com algum bicho da floresta, e, sempre ficava no "depois veremos, não me lembro disso". Prometia doar uns peixes para dona águia, uns raminhos de ervas para a anta, um chiqueiro novo para seu porcão, um bezerro morto para seu urubu, uma plumagem nova para doutor pavão, uma eguinha nova para seu burrão, uns defuntos frescos para seu gavião, um colar de pérolas para dona cabrita, e por aí ia o rosário de promessas sem fim. O fato é que o velho lobo nunca cumpria, mas sempre usava seu uivo manso para manter todos bonzinhos no seu reino e, assim, continuar manipulando e dominando todos os bichos.

Naquela floresta encantada também vivia a dona onça, animal majestoso e enigmático que dominava toda a atividade econômica da floresta. Alguns diziam que ela era a verdadeira rainha, quem mandava no pedaço. Dona onça não gostava desse título e preferia se manter discreta nos seus negócios. Mas com o poder que acumulou ao longo dos anos de exploração da floresta, acabou acumulando poderes ilimitados e, mandava de fato no velho lobo (que mandava por direito) e em todos os bichos daquele reino. 

Havia também naquela floresta um grupo de animais aparentemente frágeis, mas com muita astucia e fome permanente. Viviam sempre buscando uma maneira de conseguir mais comida de graça e aumentar seu estoque de água fresca e pasto verdejante. Esse grupo de hienas resolveu criar uma instituição e fez todo mundo acreditar que seria necessária para manter a harmonia e o equilíbrio da floresta. Assim, todos os animais passaram a obedecer a esse grupo que por sua vez, tinha poderes sobre o velho lobo. Essa espécie animal ficou tão importante que muitos animais faziam de tudo para virar hienas. Mas essa metamorfose era extremamente difícil e dispendiosa, de tal maneira que um grupo reduzidíssimo conseguia a transformação.

Um grupo de doze hienas fizeram uma aliança e conseguiram se sobressair das demais. Ameaçavam constantemente o velho lobo que tinha que se rebolar para atender aos seus caprichos. Passaram a ameaçar também o poderio de dona onça que não dava muita bola para elas. Traçaram um plano para mostrar a toda a floresta que dona onça estaria destruindo o habitat e se apoderando das riquezas de todos os animais. Dona onça que era a mais astuta e inteligente, logo traçou um plano de contra-ataque para que as hienas permanecessem sem incomodar os seus interesses. Chamou o velho lobo e jogou a isca. Convidou-o para um passeio no litoral para um banquete luxuoso e um banho de praia. E disse: "pode convidar as hienas. Será tudo por minha conta".

O velho lobo viu naquele convite a grande chance de deixar suas hienas mais calmas e colaborativas. Era exatamente o que estava precisando, pois ultimamente esse bando estava lhe tirando o sono com tantas exigências. Elas não se contentavam mais com os agrados, agora queriam um pedaço do seu reino. O velho lobo já havia apelado para tudo, até mesmo o porco-espinho - mestre em magia negra -, fora contratado como assessor. Mas nada estava adiantando. "Um banho de praia! Isso pode ser a saída para que essas hienas me deixem em paz!", - pensou o velho lobo.

Seu lobo chamou o seu assessor direto, o mestre tamanduá, e ordenou que colocasse o plano em prática. O mestre tamanduá, bicho astuto e traiçoeiro cuidou de todos os detalhes para seduzir o maior numero de hienas. Foi mais fácil do que pensava. Logo as hienas estavam com os olhos brilhando e com as malas prontas para o exótico passeio. No fim de semana, embarcaram todos na centopeia de ferro providenciada pela dona onça e acompanharam o velho lobo nessa viagem luxuosa e milagrosa. Viajar juntinhos com o velho lobo e ainda poder banharem  juntinhos na mesma água salgada do litoral seria revigorante, seria um bálsamo para curar as feridas que tanto lamberam sem resultados.

O velho lobo sorria satisfeito. Depois desse banho e do abundante chá de cevada tudo iria mudar. Isso   haveria de entorpecer o cérebro de todas as hienas e a paz voltaria a reinar entre todos. Dona onça por sua vez, se orgulhava de sua inteligência. Conseguira enfim, acabar com a rebeldia das hienas e reforçar ainda mais a subserviência do velho lobo.

10 comentários:

  1. Parabéns Luiz pela bela fábula. A leitura é capaz de conduzir o leitor a imaginar diversas situações e, se sairmos do reino animal e entrarmos no nosso mundo, não seria necessário trocar os bichos para retratar a realidade política, econômica e social em muitas florestas encantadas que existem por aí. Valeu!

    ResponderExcluir
  2. Dona Onça tem que cuidar também do Rio Doce que agora devido ao rompimento de uma de suas reservas de rejeitos, esta vendo correr em seu leito "um rio de lama".

    ResponderExcluir
  3. Embora se trate de uma fábula, os animais citados caem como luva para servir de sobrenome para cada uma das pseudo-autoridades citadas!!!

    ResponderExcluir
  4. Luiz, como ninguém do executivo de Parauapebas ainda foi preso?
    Se no legislativo, com orçamento muito menor, várias cabeças dançaram, como, no executivo, com vários contratos mega faturados entre outras coisas piores, nada acontece?
    Será omissão do MP, dos próprios vereadores, do Dr. Líbio ou de todo mundo?

    ResponderExcluir
  5. Luis Vieira, tú é o bixo. Conseguiu descrever a viagem do prefeito com os vereadores a São Luis na íntegra com todos os detalhes através desse teu texto. Morrendo de rir até 2016. kkkkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, essa é apenas uma fábula e, qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência.
      Obrigado pela visita.

      Excluir
    2. Só lembrando a Joelma foi viu , kkkkk

      Excluir
  6. "Uma plumagem nova para o doutor Pavão" é ótimo; agora, quem é o seu "Burrão" que está precisando de "uma Eguinha nova"?, tá mal assim? ""Um grupo de doze hienas"... ôpa!, na minha matemática são pelo menos 14, ficando a 15ª como uma incógnita. Será? O certo é que com a chegada do "mestre tamanduá" o "velho lobo" vive tranquilo - de papo pro ar. Difícil porém é saber ou adivinhar onde fica esta "floresta encantada" deste "distante reino". É bicho de menos pra floresta demais. Só sendo mesmo encantada!

    ResponderExcluir