Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A POLÊMICA DO TROCO NO HIPERSENA

Outro dia postei aqui no blog um texto sobre o problema do descumprimento da Lei do troco nos supermercados de Parauapebas, com o objetivo de informar ao leitor sobre esse direito que é desconhecido pela maioria. Confira aqui. O texto traz à tona uma prática abusiva e ilegal que é a venda casada, através de indução ao cliente a levar balas no lugar do troco. O grande problema é que essa solução encontrada por muitos comerciantes, só vale para um lado. Caso faltem dez centavos, o cliente não pode deixar balinhas para completar o valor.

No dia 23 de fevereiro, um leitor do blog me mandou um vídeo gravado no interior do supermercado Hipersena, onde demonstra esse flagrante e a falta de tato da funcionária responsável para lidar com esse problema. Achei interessante por contribuir para fomentar um debate sobre a situação. Cuidadoso como sou, mostrei a um advogado especialista nesse assunto, e o mesmo não viu nenhum problema quanto a divulgação das imagens: "trata-se de imagem em local público e não expõe os envolvidos ao ridículo, não tem cunho de preconceito ou vexaminoso e nem deprecia a imagem da empresa", garantiu o doutor. Assim, postei na minha página do Facebook para fazer um teste de interesse do público. Para minha surpresa, o vídeo viralizou. O amigo Alípio Mario Ribeiro reproduziu o vídeo  em sua página, e bateu record. As duas páginas conseguiram os estratosféricos números de 68 mil visualizações e mais de 700 compartilhamentos. A grande repercussão e o teor dos comentários demonstram que esse não é um caso isolado e que incomoda bastante a população. 

Supermercado reagiu mal


Uma advogada do Hipersena divulgou uma nota na caixa de comentários do post onde justifica o ocorrido e pede desculpas pelo transtorno causado ao cliente. Achei a atitude bastante inteligente e postei a nota junto com o vídeo. Para minha decepção, outras pessoas envolvidas com o comando da empresa passaram a postar comentários demonizando o post. (Alguns até retiraram os comentários ao perceberem o erro). Sem ter como justificar, forçaram a barra jogando a culpa na Casa da Moeda, nos bancos e, principalmente dizendo que trata-se de um problema nacional. Mas o pior de tudo, foi vitimizar as
Uma das ameaças recebida
funcionárias do estabelecimentos para encobrir a ilegalidade comercial que foi exposta no vídeo. Falaram que expomos a imagem das mesmas, causando constrangimento. Alguns Fakes chegaram a fazer ameaças para tentar intimidar o autor do vídeo. É incrível como essa prática arcaica truculenta do coronelismo ainda persiste em nosso meio: basta alguém ter coragem de expor uma crítica que vira alvo de ataques e ameaças.

Esperávamos que a direção do supermercado fosse agir de outra maneira. Faltou a meu ver, inteligência empresarial. Vendo a repercussão que o caso tomou, o mais sensato seria aproveitar a consultoria grátis que o post proporcionou e readequar sua prática. Muitas empresas chegam até a contratar consultores para se passar por clientes e gravar o atendimento e a prestação de serviço. No Fantástico tem até um quadro chamado "Chefe Secreto" onde as empresas não vêem nenhum problema em expor em rede nacional suas falhas. Isso é prática empresarial inteligente e arrojada que valoriza cada crítica e cada reclamação.

Não houve desrespeito


O autor do vídeo que me autorizou a publicação, em nenhum momento causou constrangimento ou humilhou as funcionárias do Hipersena. Ele foi até muito educado e ético. Cansado dessa prática abusiva resolveu filmar. Avisou a operadora de caixa e a fiscal que estava filmando, e deixou bem claro que elas não tinham culpa e até sugeriu falar com o gerente. Ele é que foi constrangido na frente de outros clientes, pois as funcionárias não estavam preparadas para resolver uma situação simples com cortesia e sem causar aquele clima. As funcionárias tinham culpa? Não. Apenas não foram preparadas e treinadas para essa situação. Um sorriso desarma qualquer espírito e resolve qualquer situação. O mal humor e a arrogância só acirram e transformam pequenos problemas em guerras. "Não era por dezenove centavos", afirmou o autor do vídeo. "O problema foi a falta de respeito. Outro dia fiz uma compra e só tinha $20,00. Passou $0,17 e eles não deram o desconto e tive que devolver produto", reclamou.

Nossas empresas não aprenderam com a crise


Apesar da grande crise vivida em Parauapebas, muitos empresários ainda não aprenderam que o cliente é o patrão e tem que ser cortejado e fidelizado e, que as críticas são instrumentos de crescimento e não ataques. Quando um cliente tem a coragem de expor uma crítica publicamente, esse deveria ser prestigiado e chamado para ser ouvido, pois a maioria prefere fazer as críticas em outros meios, sem que os donos tomem conhecimento. E isso é desastroso! 

Quer crescer? Escute seu cliente e valorize aquele que tem coragem de expor os problemas. Chame esse cliente para conversar, peça-lhe sugestão. Incentive outras críticas, disponibilize instrumentos que facilitem a avaliação constante dos serviços. Colocar um cartaz com um número de SAC não é suficiente e é uma mera formalidade. 

Uma pequena consultoria grátis


Nossos funcionários são o cartão de visita do nosso negócio. Se você entra numa empresa e os funcionários são mal humorados, resmungões, não sorriem, não cumprimentam os clientes, não agradecem... E o pior: se os funcionários falam mal da empresa, aí já é trágico. Isso é sinal que o negócio vai muito mal. Cuidado! Sua empresa está preste a falir. Culpa dos funcionários? Nãããão! Significa que estamos negligenciando o treinamento e a valorização do funcionário. Dar emprego e pagar salário não é tudo. Temos que dar motivos para que eles sorriam, que sintam vontade de trabalhar ali, de acolher bem os clientes. 

O supermercado Hipersena é uma empresa importante para a economia do nosso município. Sem dúvida alguma é o maior varejista no setor. Por se tratar de uma empresa familiar, deve rever seus conceitos e reprogramar sua prática de gestão e relacionamento com o público e, principalmente com os seus funcionários colaboradores. Treinamento, treinamento, treinamento. Essa é a palavra de ordem. E ser mais tolerantes as críticas ao invés de atacar os críticos não seria um mal negócio.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O CARNAVAL DOS INCAUTOS

A falta de cultura, de discernimento, o alto grau de alienação social, a falta de conhecimento e entendimento sobre conjuntura política, a fuga das aulas de História, Sociologia, Geografia e Filosofia saltam aos olhos e ficam evidentes no carnaval. Essa é uma festa que serve, para entre outras coisas, desnudar a personalidade dos foliões. É o momento onde todos se soltam e deixam de lado as convenções sociais.

No carnaval de 2016 a fantasia mais vendida foi a do Japonês da Federal. Lembram? Pois é. Ele virou herói da "rapaziada empolgada" que se vestia de amarelo e ia para a rua gritar contra a corrupção e "FORAPETÊ". Essa meninada nem se deu ao trabalho de pesquisar sobre o histórico do tal japonês. Bastaria um click no Google para ver que se tratava de um farsante, um bandido dentro da Polícia Federal protegido pelas artimanhas da justiça. Sinto muito em informar que o herói dessa rapaziada incauta e desprovida de cultura está preso. O símbolo eleito, cantado e conclamado no carnaval não passava de um bandido que dava cobertura a traficantes no Paraná. Vergonhoso não?! Seria se essa galera tivesse discernimento.

Outro "herói" que foi tão aclamado pela galera do
Galera do MBL
"pato amarelo" foi o Eduardo Cunha. Para quem já esqueceu, o Cunha foi quem presidiu a sessão de impeachment da presidente Dilma. Nos blocos de carnaval de 2016 e nas redes sociais era fácil de encontrar o bordão "SOMOS TODOS CUNHA". Nem precisa lembrar o que aconteceu. Também está preso, apesar da tentativa dos seus aliados e de grande parte do judiciário brasileiro para livrar sua cara. Mesmo a contra gosto, o fanfarrão Sérgio Moro teve que prendê-lo para não ficar mal diante dos órgãos internacionais e da justiça suíça. 

E nesse carnaval, quem serão os heróis da rapaziada que brada contra a corrupção e, ao mesmo tempo saqueia lojas, frauda impostos, vende votos, rouba merenda, faz apologia ao crime e espanca mulheres? Vamos ficar de olho.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

COLUNA DO LEITOR - MEU "POBRE RICO" PARÁ

* Por Joyce Bezerra da Silva

Publico esse texto com alegria. Uma análise sensata, inteligente e apurada sobre a triste realidade do nosso Estado. A autora consegue abordar com clareza e leveza um tema complexo que precisa ser compreendido e debatido por todos. Boa leitura! (Luiz Vieira).

Assistindo nesse domingo (19/02) a reportagem do Fantástico à respeito do Município de Ananideua, constatei algo que todo mundo já sabe: que os Estados do Pará e Maranhão só aparecem em destaque no cenário Nacional, na maioria das vezes, quando se trata das mazelas ali existentes.
Estados esses riquíssimos e que servem apenas como plataforma política de suas elites intelectuais, que há séculos manipulam o povo, em sua maioria sem instrução, com aquela boa, velha e infalível política do pão e circo, ensinada pelo Império Romano no primeiro século.
A Constituição Federal de 1988 assegura em seu artigo 196 “que saúde é direito de todos e dever do Estado”. E o que o Estado está fazendo diante do caos que está instaurado nos nossos entes Federados? É revoltante que em pleno século 21, a população da zona metropolitana de Belém viva em índices baixíssimos de dignidade humana, tamanha a riqueza existente no Estado do Pará.
Para se ter ideia, o Pará é um dos Estados decisivos no equilíbrio da balança comercial brasileira, ficando no primeiro trimestre de 2016 com uma saldo de U$3,9 bilhões de dólares, garantindo o 4º lugar no ranking nacional. Entretanto, assim como no Maranhão seus indicadores sociais (IDH) estão muito abaixo da média nacional, tendo piorado para situação de pobreza para extrema pobreza ao longo dos anos. Onde apenas 4,06% da população tem formação no ensino superior e o número de pesquisadores cadastrados junto ao CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) é o menor do País.
Chegou a hora desse Estado tão rico, que  ocupa o 13º lugar no ranking do PIB nacional, deixar de ser apenas um almoxarifado de matéria-prima e investir em políticas públicas sérias que priorizem a educação como instrumento de mudança desse cenário assustador. Isto porque, até a maioria da mão-de-obra qualificada nos grandes projetos de mineração e indústria que ali existem, segundo dados do IBGE, vêm de outros Estados, sendo que as populações amazônicas continuam sendo excluídas por falta de instrução e capacitação.
Somado a isso, o Estado vem sendo penalizado há vinte anos com a famigerada Lei Kandir, que desonerou a tributação dos impostos de suas exportações de produtos básicos e semielaborados, sendo que o montante de perdas acumuladas de 1997 a 2014 é de cerca de R$44,168 bilhões de reais, que poderiam ser investidos em saúde, educação e segurança, e que nunca foi regulamentado a forma de compensação desses “incentivos fiscais” por lei complementar pelo Congresso Nacional, uma clara e evidente omissão legislativa de vinte anos.
Atenção bancada Paraense no Congresso Nacional! Se unam em prol do seu Estado, defendam a Federação da qual vocês representam e foram eleitos para isso!
Ademais, ainda há a incógnita do novo marco regulatório da Mineração, que sua tramitação segue parada desde 2013 no Congresso, causando grave insegurança nos investidores internacionais e prejuízos aos Estados e cidades mineradoras, como em Parauapebas, que segundo dados da FIEPA é o maior município exportador do Pará, que somente no primeiro semestre de 2016 exportou U$1,9 bilhões de dólares.
Vale ressaltar que, a proposta atual do novo Marco Regulatório da Mineração (PL 5807/2013), defendia primordialmente os interesses das mineradoras, onde até a revisão do projeto de Lei para o relator foi feito por um advogado que prestava serviço a um escritório que tem como cliente as maiores mineradoras do País, que por sua vez, “doaram” cerca de R$2 milhões na campanha do parlamentar em sua candidatura à Deputado Federal em 2014, ficando evidente um grave conflito de interesses.
Diante disso, vivemos um futuro incerto neste País, que chego a perder a esperança de um futuro melhor para as novas gerações, pois temos um sistema que nunca mudou desde o Brasil Colônia, o “escambo” entre colonizador e os colonizados. Hoje, os nossos colonizadores são os representantes do povo, a classe política, que deveriam defender os nossos interesses, o interesse da nação, mais que só buscam seus próprios benefícios escusos, aí está a operação lava-jato para comprovar tudo isso!
Infelizmente o Norte e Nordeste continuam servindo apenas como exportadores de matéria-prima, mão-de-obra barata e de plataformas político-partidárias de um sistema de governo assistencialista que concentra muito dinheiro nas mãos de poucos, e em contrapartida, a sua maioria, segue padecendo em busca de um futuro em que a dignidade humana possa prevalecer, sem que para isso, haja investimentos em políticas públicas que priorizem a educação como mola propulsora de mudança dessa realidade, até porque não é interessante para classe de empresários e políticos que dominam a nação que um dia isso possa acontecer de fato.
Diante disto, ainda é possível ter esperança de um futuro melhor nessa conjuntura política em que se desdobra os rumos do nosso País, onde praticamente todas as ideologias político-partidárias estão seriamente comprometidas com os escândalos de corrupção? Fica a reflexão feita pelo professor Rui Barbosa em 1914, mais que soa tão atual: "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".

* Advogada, Servidora Pública, apaixonada por História e Ciência Política.



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

FAMÍLIA DE JÉSSICA MOBILIZA SOCIEDADE EM BUSCA DE JUSTIÇA


Acontece nessa sábado, dia 18 a passeata organizada pela família Benetti que tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para o caso da morte da jovem Jéssyca. A jovem de 19 anos morreu após se submeter a uma cirurgia plástica e, segundo a mãe, foi vítima de negligência médica, uma vez que a paciente foi abandonada após o procedimento, apesar dos insistentes pedidos de socorro.

A mãe, Flávia Benetti destaca que essa mobilização é importante para que outras mães não passem pelo sofrimento e dor que ela está passando. Após a denúncia nas redes sociais, outras vítimas do médico apareceram, demonstrando que esse não foi um caso isolado de negligência.

Até o presente momento, seis meses depois da morte de Jéssica, o Instituto Médico Legal ainda não emitiu o laudo sobre a causa da morte da Jéssyca, deixando transparecer que está havendo um corporativismo na instituição. Realmente, não há justificativa para essa demora toda e deixa margem para interpretações, uma vez que o laudo seria emitido por outros médicos.

A família Benetti convida toda a sociedade para essa manifestação pacífica em prol da justiça e da verdade. Será nesse sábado (18) as 15h saindo do posto do viaduto. "Não queremos aqui acusar ninguém, mas apenas exigir que a verdade venha a tona e que a justiça seja feita", ressalta Flávia Benetti.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O MÉDICO E O MONSTRO

Uma questão de ética

Médico que sugeriu procedimento para matar d. Letícia
No programa da Rede Globo* Fantástico desse domingo (12/02), ouvi um dado muito preocupante: "até hoje no Brasil, nenhum médico perdeu seu registro por questões éticas". No máximo, foram afastados temporariamente ou receberam advertências. Isso é muito grave numa profissão onde a ética deveria ser o principal instrumento. 

A matéria do Fantástico referia-se aos médicos do Hospital Sírio Libanês e outras unidades de saúde que divulgaram numa rede social os exames da ex-primeira dama Marisa Letícia - esposa do ex-presidente Lula - e ainda fizeram piadas sobre o seu estado de saúde. O Brasil inteiro testemunhou atitudes que seriam normais se tivesse partido de monstros psicopatas ou de um grupo pertencente a uma seita satânica. Mas não. Infelizmente partiram de médicos formados que tem como a principal missão a defesa da vida de acordo com o juramento de Hipócrates. (não seria juramento de hipócritas?).

Recentemente, tivemos outro episódio um tanto quanto preocupante. É sabido que muitos médicos se formam no Brasil e não querem ir trabalhar no interior. Para sanar esse problema, a presidente Dilma implantou o programa "Mais Médicos". Esse programa trouxe médicos de vários países,
Médicos brasileiros hostilizando médicos cubanos
principalmente de Cuba e mudou para melhor o nosso triste cenário da saúde pública. Aldeias, ilhas e vilas desse nosso imenso Brasil que antes nem sabia o que era um médico, passaram a ser assistidas por dedicados profissionais que vieram para o Brasil trabalhar com paixão e compromisso com a medicina popular. Infelizmente, bastou parte da classe médica brasileira ver seus privilégios ameaçados, para botar em pauta uma guerra contra os médicos estrangeiros, e usaram para isso a demonização ideológica com os ingredientes CUBA e COMUNISMO. Usaram a boa fé e a ingenuidade do povo mais inocente, contando com a benevolência e apoio da mídia e fizeram um verdadeiro terrorismo que envergonharia qualquer patriota civilizado. 

Presenciamos caravanas de médicos brasileiros nos aeroportos esperando os médicos cubanos (os escolhidos), não para dar as boas vindas como deveria ser, mas para humilhá-los e hostilizá-los. De forma inacreditável, profissionais com um diploma universitário portavam cartazes agressivos e gritavam: "voltem para Cuba", "parecem um bando de empregadas domésticas" (referindo-se as médicas negras), "bando de macacos", terroristas", "comunistas". E para meu espanto, ainda houve gente que se diz do "BEM" compartilhando esses absurdos nas redes sociais em total apoio. Pensei: esse país não tem mais jeito, está seriamente e irremediavelmente doente. Quando se vê uma atrocidade dessa sendo praticada por seres ignorantes, desprovidos de estudos, de raciocínio, ainda dá para entender. Mas, no caso, tratava-se de gente com diploma universitário (a maioria formada às custas do Estado, ou seja, do povo).

Ainda considero a medicina uma profissão nobre. Considero os médicos como anjos, que adquiriram conhecimentos para salvar nossas vidas. Mas parece que o Conselho de Medicina não pensa assim. A omissão dos Conselhos Regionais, o corporativismo, chegou a tal ponto que está comprometendo toda a classe médica. Daqui a pouco, a população começará a achar que todo médico é monstro desprovido de alma. E aqui, lembro do meu avô paterno, velho sertanejo de cultura rústica que não gostava de médicos. Dizia que jamais faria um exame de sangue, pois não queria dar sangue para o diabo.

Aos bons e honrados médicos, fica aqui o meu apoio, minha admiração e respeito.

*Sim. Assisto a Globo. Se não, como poderia fazer análise crítica?

domingo, 12 de fevereiro de 2017

NA VEJA, A RAZÃO DO 'APELO' DE MORO A TEMER



Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:

A capa da Veja deste final de semana parece revelar o que pretendia o juiz Sérgio Moro, ontem, ao apresentar-se espontaneamente para defender Michel Temer do que chamou de “ameaças e extorsões” de Eduardo Cunha contra o ocupante da presidência.

A revista, porta-voz oficioso da Lava Jato, registra que Temer dá vários passos para “estancar” a Operação no Supremo e, com isso, salvar a pele da turma que está hoje no poder, inclusive a dele próprio.

O despacho de Moro, dizendo que não admitirá, em Curitiba, sequer “insinuações” contra o presidente pode ser lido como um “o senhor cuida do Supremo e que garanto Curitiba”.

Moro só quer Lula e descarta, com seu perdão, quaisquer outros para conseguir chegar a ele.

Tudo o mais foram meios.

Aniquilar e desmoralizar o Supremo não o desagrada, porque evitar que, na parte do butim da corrupção que o anima, ainda evitará que os abusos que pratica possam ser revertidos por qualquer resto de legalismo que sobreviva na corte suprema.

Os procuradores da “Força Tarefa” talvez não se incomodem muito que Rodrigo Janot tenha o mesmo destino e seja “executado” a médio prazo, com a não recondução ao cargo.

Uma investigação marcada pela política desde o início não poderia ter senão, também, um final político.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

COLUNA DO LEITOR - CIRURGIA PLÁSTICA – O CASO DE JÉSSYCA BENETTI

*Por Alípio Mário Ribeiro
            
Jéssyca Benetti 
Jéssyca Benetti, de 19 anos, quis fazer um procedimento estético e buscou por clínicas na região que a atendessem. Encontrou a famosa clínica do médico cirurgião plástico, RAFAEL AGRA, que se auto intitula o DR. HOLLYWOOD DA AMAZÔNIA.

Por que ela quis fazer uma plástica? Vaidade de uma jovem em busca de mais beleza e afirmação. Mas este não é o caso. O famoso médico preenchia todos os requisitos para fazer o procedimento estético. 

Todos os exames foram feitos e a cirurgia foi marcada e realizada no dia 09 de agosto de 2016. Menos de 24 horas depois da cirurgia, o médico deu alta para a paciente. Aí começou o martírio de Jéssyca.

No outro dia, a jovem estava muito ruim. Em ligações pelo celular, o médico disse que a dor era normal, que ela bebesse líquidos, açaí e fosse fazer a drenagem. Jéssyca foi para a clínica e procurou o médico. Em vão. Depois da cirurgia, o doutor Hollywood não quis mais contato com a paciente. As drenagens eram feitas pela esteticista da clínica, senhora Sara. Jéssyca só piorava. A mãe, Flávia Benetti, ligava várias vezes e o médico não atendia. Quando atendeu, disse que a jovem paciente estava com manha, fazendo cena, que estava tudo certo. No quarto dia depois da alta, Jéssyca entrou em convulsão, desespero e dor. A mãe dela correu com ela para a Clínica Santa Terezinha, onde ela fora operada. O médico RAFAEL AGRA não deu as caras! Jéssyca faleceu nos braços da mãe, no domingo, 14 de agosto, dia dos pais!

Flávia Benetti, no dia 24 de agosto, procurou a delegacia e registrou um Boletim de Ocorrência. Acusou o médico de negligência, de abandono da paciente. Até o momento, a autoridade policial não se manifestou, já se passaram 06 meses depois. Flávia procurou o Ministério Público para fazer outra denúncia e pedir providências. Contratou advogado para cuidar do caso e processar o médico.

Durante estes 06 meses, a mãe de Jéssyca esteve tão abalada que não teve forças para acompanhar a investigação das autoridades. O pai de Jéssyca, descrente na justiça, não se manifestou. Agora, Flávia foi para as redes sociais, contou sua versão dos fatos. Não acusou nem denegriu a imagem do doutor Hollywood. Quer justiça! Que a verdade seja revelada. Várias outras pacientes do famoso cirurgião começaram a se manifestar nas redes sociais em apoio à desesperada mãe. Se prontificaram a testemunhar contra o RAFAEL AGRA, dizendo que foram abandonadas por ele, que ele fora negligente com elas. O depoimento delas está nas redes sociais.

A página do Facebook de Flávia foi tirada do ar por denúncias caluniosas não se sabe de quem. Mas a mãe de Jéssyca está determinada a dar um basta nisto tudo. Entrou em contato com a administração do Face e teve seu perfil reativado. No entanto, os mais de 500 compartilhamentos de seu depoimento e da foto de Jéssyca agonizando, foram retirados. Mas os amigos de Jéssyca e de Flávia começaram a divulgar tudo de novo nas redes.

Claro, outras versões mentirosas sobre a jovem Jéssyca começaram a surgir. Que ela usava drogas, que tinha bebido antes da cirurgia, que tomava anabolizantes. Tudo mentira. Basta dar uma olhada nos exames pré-operatórios para que se confirme que Jéssyca estava sadia. Se a jovem tivesse usado qualquer substância que pudesse prejudica-la, apareceria nos exames e ela não seria autorizada a fazer o procedimento cirúrgico. 

Quem não deve, não teme. Se há culpados, que paguem pela culpa. O que se pretende fazer é JUSTIÇA!

NINGUÉM IRÁ CALAR FLÁVIA BENETTI.

#jusitçaparajessyca

*Advogado de Flávia Benetti

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

SEGURANÇA PÚBLICA EM RISCO - MANIFESTAÇÃO DAS FAMÍLIAS DOS POLICIAIS MILITARES DE PARAUAPEBAS ACENDE A LUZ VERMELHA

Um movimento grevista que começou em Vitória - ES, está se alastrando pelo Brasil e agora chega a Parauapebas. Nessa sexta-feira (10), familiares dos policiais militares em Parauapebas aderiram ao movimento e bloquearam o portão principal do quartel com faixas e cartazes reivindicando mais condições de trabalho e valorização da categoria. Do lado de dentro, viaturas posicionadas e policiais que supostamente estariam impedidos de sair, observavam a movimentação.

Pela pequena quantidade de manifestantes, não dá para saber se o movimento vai vingar. Em Belém, também está acontecendo a mesma manifestação e a população já demonstra preocupação. Em Vitória, desde o início da greve a violência descambou e tomou proporções drásticas.  Nem a Força Nacional e tropas do Exército conseguiram deter a onda de violência. Pelos índices de violência e criminalidade registrados no Pará, a situação ainda é mais preocupante e deixa a população em pânico.

O que acho da greve?


Como um humanista, tenho todos os motivos para manter reservas referente a Polícia de forma em geral. Já fui retirado da prefeitura de uma manifestação de professores em 1993 por um policial que pressionava minhas costelas com o cano de uma metralhadora enquanto proferia palavras ofensivas; já vi manifestação de trabalhadores ser reprimida com violência por policiais. No entanto, compreendo que falta uma preparação mais humanista na formação da PM e não os culpo por isso. Culpo sim, o Estado que tem sido omisso com a segurança da população e não tem interesse em formar uma polícia mais humana e valorizada como trabalhador. Assim, considero legítima a manifestação dos familiares dos policiais. Vejo, não a polícia em greve, mas uma categoria de trabalhadores que ganha um salário vergonhoso e tem péssimas condições de trabalho.

Baixos salários no Brasil inteiro


Quanto você acha que deveria ganhar um policial que é responsável por manter a ordem e a
segurança do cidadão? Pasmem! Aqui no Pará o salário de um PM é apenas $2.128,80. Em Brasília - DF onde paga o maior salário do policial, chega apenas a $4.700,00. Sem contar com as péssimas condições de trabalho, falta de infra-estrutura, carga-horária excessiva, etc. Assim como os professores, a polícia trabalha muito e ganha pouco.

Pela lei vigente, a polícia não pode fazer greve. Mas quando a situação chega a tal ponto, o jeito é usar o "jeitinho brasileiro". De forma criativa, utilizaram a tática de barreira feita pelos familiares para impedirem de sair dos quartéis. É claro que meia dúzia de mulheres não conseguiria conter uma tropa inteira presa no quartel, mas dificilmente a justiça conseguirá responsabilizar as entidades policiais por essa greve. 

Como diz um ditado popular, "polícia: ruim com ela, pior sem ela". A violência e a insegurança que já preocupa Parauapebas, pode aumentar ainda mais e descambar para consequências drásticas. Espero que o governador paraense não seja tão estúpido como está sendo o governador do Espírito Santo e negocie com os policiais. Caso contrário, só restará ao cidadão se proteger como puder, e que Deus nos ajude.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

CICLISMO E CIDADANIA

Concentração próximo ao Hipersena
Aconteceu ontem, quarta-feira (8) mais uma edição da Quarta Bike Night. Uma iniciativa do empresário Valdir, proprietário da Bike Show, essa prática está se tornando cada vez mais popular em Parauapebas e ampliando o numero de adeptos. 
De mãos dadas, a equipe faz uma oração para iniciar

Pedalar, além de ser uma prazerosa atividade física, é uma prática cidadã. Os praticantes desse esporte aprendem regras importantes de convivência coletiva no trânsito, além de despertar para as boas práticas ecológicas e o respeito pelo próximo. Sem contar que desperta o senso crítico ao deparar com problemas como vias mal sinalizadas, ruas esburacadas, motoristas mal educados, falta de ciclovias, etc. É comum, durante as pedaladas, os participantes trocarem idéias sobre os problemas da cidade. Ontem, quando passávamos pelo trecho da PA que foi construído recentemente pela administração municipal (sentido shopping - Hipersena), uma moça me acompanhou e comentou: "que absurdo, esse asfalto acabou de ser inaugurado, custou uma fortuna e já está todo esburacado". 

Há uma tendência de crescimento desse movimento ciclista e que a equipe comece a cobrar das autoridades a construção de ciclovias que interliguem a cidade. Afinal, podemos medir o grau de desenvolvimento de uma cidade pelo numero de ciclovias e passeios para pedestres. Uma outra demanda importante é a conscientização dos motoristas para garantir a segurança de todos. 

Dicas para ciclistas iniciantes




Como pedalar em segurança nas ruas? Um ciclista iniciante, muitas vezes, não conhece os pontos principais da Lei e, por isso, também desconhece seus deveres e direitos.

Queremos que você ocupe a sua cidade de maneira segura para si próprio, outros ciclistas, pedestres e carros. Já começamos, então, puxando a orelha de quem faz errado. O Código de Trânsito Brasileiro tem algumas regras valiosas para os motoristas que também valem para os ciclistas.

O ideal, ao pedalar, é ficar à direita – e, em caso de trânsito intenso, pode sim ultrapassar (Art. 211). Jamais pedale sobre a faixa de pedestres; não vá na contramão das ruas – o Art. 58 define que a bike deve ir no mesmo sentido dos carros. “Muitos acham que duas coisas são melhores: pedalar na contramão e ficar muito próximo à guia. Na contramão, você vai no contra fluxo de trânsito, e o motorista não espera um objeto na contramão”, explica JP, idealizador do Bike Anjo.

E vale insistir na lembrança sobre o posicionamento na faixa: Pedimos para cobrir metade da faixa para o motorista não pressionar ultrapassagem.

Vale lembrar também pequenos detalhes essenciais aos iniciantes. “O caminho do ciclista não é igual ao do carro ou ônibus, na maioria dos casos. Aí quem está começando nos pergunta como andar numa avenida muito movimentada, e explicamos que há caminhos alternativos, muito mais agradáveis e com tráfego de carro menos intenso”, explica JP da Bike anjo.

Outro ponto ressaltado pelo experiente ciclista é a comunicação e visibilidade no trânsito. “É você insinuar o que vai fazer no trânsito. Eu, por exemplo, tenho menos problemas com motoristas e mais com buracos. Se tenho que desviar, preciso sinalizar com as mãos que estou desviando para direita ou esquerda. Isso é muito importante para o ciclista não correr nenhum risco”, alerta JP.
Parada para descanso

E você, que pensa ou está começando a pedalar nas cidades, saiba que é mesmo traumático começar a ser ciclista sozinho. “Não temos cultura de pedalar sozinhos. A melhor coisa é não começar diretamente na rua. Pedale na Ciclo Faixa ou participe de grupos de pedal, como a ONG Bike Show”, “É um ótimo exercício, você conhece pessoas e torna o começo muito mais agradável do que ir direto para a rua no trânsito”. 


Fonte: Movimentoconviva.com.br

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

POLÍTICA NACIONAL

Janot denuncia cúpula do PMDB. Golpistas começam a brigar entre si

Escrito por , Postado em Golpe
(Foto: Romero Jucá, José Sarney e Renan Calheiros. Foto: PMDB/Divulgação)
Essa denúncia de Janot contra a cúpula do PMDB é outra prova do caos político em que o golpe nos jogou.
Golpista brigando com golpista, para saber quem ficará com os despojos de um Brasil arruinado.
Vou aguardar um pouco antes de opinar sobre isso. Quero ler o documento antes. Reproduzo a matéria do Estadão, que resume a denúncia e traz algumas respostas dos acusados.
O que eu posso adiantar é que concordo com Kakay, advogado de um dos acusados: o Brasil virou monotemático.
Enquanto o consórcio golpista distrai a opinião pública com este circo que se tornou a Lava Jato, o governo já começou a destruição do BNDES, do Banco do Brasil, da Caixa, da Petrobrás.
Temer impôs ao Rio a privatização da Cedae, nossa estatal de água, e já avisou que será um modelo para todos os estados.
O Espírito Santo, cuja gestão tucana era considerada “modelo”, afunda numa espécie de guerra civil.
Enquanto tudo isso acontece, Sergio Moro, um dos artífices do golpe, vai a Columbia receber cachê da Fundação Lemann, pertencente ao homem mais rico do Brasil.
Carmen Lucia, presidente do STF, também foi receber o mesmo cachê, no mesmo lugar.
Em Davos, Rodrigo Janot avisou que a Lava Jato é “pro-mercado”.
Coxinhas comemoram que governos da América Latina estão expulsando empresas brasileiras, com base em informações repassadas pelos meganhas da Lava Jato.
Temer indica Alexandre de Moraes, o homem dos massacres em São Paulo, o reacionário tacanho que vai ao Paraguai desbastar pés de maconha, para o STF…
A íntegra da denúncia do PGR está aqui. Os internautas podem lê-la e comentar, destacando alguns trechos, para a gente tentar entender qual é a nova etapa do golpe.
***
No blog do Fausto Macedo, no Estadão
Renan, Sarney e Jucá formam quadrilha, diz Janot
No pedido ao Supremo Tribunal Federal para abertura de inquérito criminal contra quadros históricos do PMDB, procurador-geral da República atribui aos aliados do presidente Michel Temer ‘atuação planejada’ contra a Lava Jato
Valmar Hupsel Filho, Mateus Coutinho e Fausto Macedo
07 Fevereiro 2017 | 05h00
Ao pedir autorização do Supremo Tribunal Federal para a instauração de inquérito destinado a apurar o crime de embaraço à Operação Lava Jato – formalmente embaraço à Justiça – supostamente cometido pelo ex-presidente José Sarney, os senadores do PMDB Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RO), e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se refere ao grupo como ‘quadrilha’ e ‘organização criminosa’.
“Está em curso um plano de embaraço da investigação por parte de integrantes da quadrilha e seus associados. Como sói acontecer em organizações criminosas bem estruturadas, o tráfico de influência é apenas uma das vertentes utilizadas por esses grupos”, afirma Janot.
No documento, Janot afirma que a atuação da Lava Jato, que resultou na prisão de dezenas de pessoas e recuperação de milhões em dinheiro desviado, gerou “grande preocupação de todos os integrantes da organização criminosa”. “Esse temor, no caso do núcleo político, gestou um plano para obstrução da Operação Lava Jato, com a utilização desvirtuada das funções e prerrogativas do Poder Legislativo, cooptação do Poder Judiciário e desestruturação, por vendita e preocupação contra futuras atuações, do Ministério Público”, afirma o procurador no documento.
Segundo o procurador-geral, houve uma “atuação planejada e concentrada de congressistas” para, entre outras coisas, dificultar que investigados e réus celebrem acordos de colaboração premiada, rever e reduzir os poderes do Ministério Público e anistiar agentes públicos envolvidos. Janot também descreve a atuação do grupo para tentar exercer tráfico de influência junto ao então ministro relator das ações penais no Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki.
O pedido se fundamentou no termo de colaboração premiada assinado por Machado, no qual são transcritos trechos de mais de seis horas de conversas gravadas com Sarney, Jucá e Renan. Para o procurador, as conversas “demonstram a motivação de estancar e impedir, o quanto antes, os avanços da Operação Lava Jato em relação a políticos, especialmente do PMDB, do PSDB e do próprio PT, por meio de acordo com o Supremo Tribunal Federal e da aprovação de mudanças legislativas’”.
Segundo o procurador-geral, o objetivo dos congressistas era ‘construir uma ampla base de apoio político para conseguir, pelo menos, aprovar três medidas de alteração do ordenamento jurídico em favor da organização criminosa’ – 1) proibição de acordos de colaboração premiada com investigados ou réus presos; 2) a proibição de execução provisória da sentença penal condenatória mesmo após rejeição dos recursos defensivos ordinários, o que redunda em reverter pela via legislativa o julgado do STF que consolidou esse entendimento; 3) e a alteração do regramento dos acordos de leniência, permitindo celebração de acordos independente de reconhecimento de crimes.
Janot argumenta que há ‘elementos concretos de atuação concertada entre parlamentares, com uso institucional desviado, em descompasso com o interesse público e social, nitidamente para favorecimento dos mais diversos integrantes da organização criminosa”

VAMOS PEDALAR? (PARTE III) - HISTÓRIA DO CICLISMO

No ano de 1817, o conceito de Ciclismo foi inventado pelo Barão Karl Von Drais. O que ele inventou não era exatamente a bicicleta que conhecemos e usamos. Na verdade, ele inventou uma curta máquina que o ajudou a caminhar nos jardins reais mais rápidos.

Este dispositivo tinha rodas, mas não tinha nenhuma engrenagem, correntes e pedais. Além disso, ele avançava empurrando os pés contra o chão. Com uma melhoria nesta tecnologia, este dispositivo bruto foi finalmente transformado na moderna bicicleta. 

Fonte: www.saudedica.com.br 

Felizmente, a bicicleta evoluiu bastante e, sair para pedalar hoje em dia, além de ser uma ótima atividade física com inúmeros benefícios para a saúde (como demonstrado aqui) é também uma excelente fonte de prazer e descontração. Esse é um esporte bem democrático, pois, não importa o preço ou modelo de sua "magrela", você pode sair por aí pedalando e desfrutando esse prazer. 

Então vamos lá? Aproveite esse clima e junte-se aos amigos do pedal. Hoje, quarta-feira (8) tem uma excelente programação ideal para iniciantes. Trata-se da Quarta Bike Night. 

Ponto de encontro: às 19h30 no posto do Hipersena. 

Saída: as 20h em ponto. 

Passeio urbano com cerca de 1h20 de duração.

Percurso: 20km. 


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

VAMOS PEDALAR? (PARTE II) - OS BENEFÍCIOS DO CICLISMO PARA A SAÚDE



Estes benefícios para saúde são a razão por trás da popularidade consistente do Ciclismo por muitos anos. A bicicleta é uma das formas mais simples de trabalhar como uma forma moderada da Atividade Física que é necessária para o corpo humano.

Andar de bicicleta não é apenas um Exercício. É também utilizado como um meio de transporte em muitos países. O Ciclismo ajuda a incorporar a atividade física em sua vida diária. De crianças a idosos, cada pessoa pode facilmente escolher o Ciclismo para uma vida mais saudável! 

O corpo humano requer uma Atividade Física para o funcionamento normal. Pelo menos trinta minutos de Atividade Física forte ou moderado é muito importante e é necessário a fim de alcançar a saúde a longo prazo. Além dos benefícios para a saúde física, existem benefícios para a saúde sociais e mentais que fazem Ciclismo uma atividade agradável também. Então, confira agora os 10 Benefícios do Ciclismo Para Saúde: 

O Ciclismo Fortalece os Músculos 

Andar de bicicleta é uma atividade que envolve uma grande quantidade de pedalar. Normalmente, presume-se que esta atividade só ajuda a tonificar os músculos da panturrilha e coxas, mas na verdade é um treino físico geral e envolve o movimento de quase todas as partes do corpo. Os músculos do braço também são fortalecidos, porque eles são necessários para equilibrar o ciclo. Em crianças, uma forte melhoria na saúde óssea e muscular foi notada após as sessões de Ciclismo regulares. Há evidências forte que a saúde dos músculos está diretamente relacionada ao Ciclismo. Devido ao aumento da flexibilidade dos músculos, a aptidão aeróbica recebe um impulso. 

Benefícios do Ciclismo Para a Saúde Cardiovascular 

Durante o Ciclismo, o Coração bate mais rápido do que o habitual. Isto exercita o Coração e promove a boa saúde. Estudos em homens de meia idade apresentaram resultados positivos em termos da função cardiovascular. Em comparação com os sedentários, aqueles que participaram de atividades como Ciclismo, Caminhada e Corrida exibiu uma melhora na função cardiovascular. 

O Ciclismo Ajuda no Controle da Diabetes 

A Diabetes aumenta o risco de várias doenças, tais como doença cardíaca, acidente vascular cerebral, doenças de Pele, doenças oculares, doença renal e uma ampla variedade de outros. A Diabetes pode ser controlada por Atividade Física, o que inclui a bicicleta. O Ciclismo pode ser muito benéfico no controle da Diabetes, pois a glicose presente nas células é esgotada e a glucose do sangue é desenhada pelas células e convertida em energia útil. 

O Ciclismo Aumenta os Níveis de Energia 

Andar de bicicleta ajuda a aumentar a resistência do corpo e dar um impulso para a capacidade de resistência de uma pessoa. 

Benefícios do Ciclismo Contra o Estresse 

Passeios de bicicleta podem ser tomados para reduzir o Estresse e se divertir. Especialistas dizem que a reprodução de qualquer tipo de esporte pode reduzir o Estresse, mas na maioria dos casos, a prática de esportes pode não ser possível para muitas pessoas. Em vez disso, pode-se passar o tempo a andar de bicicleta, que também é igualmente benéfica na redução do Estresse e Depressão. 

Benefícios do Ciclismo Para Gerenciar a Dor 

Andar de bicicleta ajuda com a gestão da dor. Andar de bicicleta é considerada como um exercício de “liberação”. Os exercícios liberais desempenham um papel muito importante no alivio de problemas fisiológicos e psicológicos, como Estresse, tensão e dor. 

Andar de bicicleta é uma estratégia de redução de dor amplamente aceito que, muitas vezes, é implementado em crianças, mas é tão útil para os adultos. 

O Ciclismo Ajuda na Perda de Peso 

O Ciclismo é um excelente exercício para Queimar calorias. Uma pessoa andando de bicicleta com uma velocidade de 10 mph queima 260 calorias em uma hora. Andar de bicicleta exercita os músculos na parte da frente das Coxas e as nádegas. 

Benefícios do Ciclismo Contra o Câncer 

A incidência de doenças, como o Câncer, pode ser reduzida de forma significativa através da adepção de Atividades Físicas, como Ciclismo e Corrida. Estudos mostram que para aquelas pessoas que praticaram moderadas a elevadas Atividades Físicas em idades precoces e médias, o risco de Câncer foi reduzido. Por outro lado, o risco de Câncer não diminuiu em pessoas sedentárias. 

Benefícios do Ciclismo Para Artrite 

Andar de bicicleta é notado como um dos melhores exercícios para prevenção e redução da Artrite. O Ciclismo ao ar livre ou passeios em bicicleta estática são igualmente benéficos na redução e prevenção da Artrite. Músculos das coxas e pernas são usados durante o Ciclismo e a sua flexão é benéfica no controle da Artrite. 

Impacto Ambiental de Ciclismo 

Andar de bicicleta é um modo ambientalmente amigável de transporte, uma vez que reduz a poluição em nossos bairros e reduz a emissão de gases de efeito estufa. Assim, o Ciclismo não só promove a boa saúde, mas também um ambiente melhor. 

O Ciclismo de 10 km a cada dia pode evitar a emissão de pelo menos 1,3 toneladas de gases de efeito estufa anualmente. Isso reduz o risco de muitas doenças fatais e problemas de saúde que afetam milhões de pessoas devido à poluição do ar. 

Além de poluição do ar, poluição sonora também pode ser erradicada com uso enorme do Ciclismo. Andar de bicicleta é um modo silencioso do transporte e, portanto, não cria qualquer ruído que pode afetar tanto os jovens e os velhos. 

Fonte:www.saudedica.com.br

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

VAMOS PEDALAR?

Se você é uma daquelas pessoas que tem consciência de que tem que sair do sedentarismo, mas não gosta de nenhum esporte ou de nenhuma modalidade da academia, aqui vai uma preciosa dica: pedale. O ciclismo é uma das modalidades esportivas mais completas que existe, e, ao contrário do que muitos pensam, não fortalece somente as pernas. Pedalar meche com todos os músculos do seu corpo.

Além de ser um exercício completo, com inúmeros benefícios para a saúde, pedalar proporciona um imenso prazer e sentimento de liberdade. Experimente fazer um passeio de bicicleta para ver se você não vai ficar fascinado! E pode ser praticado por qualquer pessoa, de qualquer idade, e, até mesmo por quem possui alguma limitação. 

Eu participei, gostei e recomento


Aqui em Parauapebas, descobri uma ONG que é uma mão na roda (ou um pé no pedal) para quem quer iniciar nesse esporte. Trata-se da ONG Bike Show, liderada pelo Waldyr. Além das diversas promoções sociais filantrópicas, a Bike Show incentiva e promove passeios ciclísticos diários em Parauapebas e, nos finais de semana, promove os passeios fora da cidade com muita adrenalina e diversão. Você tem que experimentar! Os passeios são livres e gratuitos. Basta você ter uma "magrela", um capacete e se inteirar na programação do grupo. (Posteriormente divulgarei as agendas dos passeios aqui).  As pedaladas na zona urbana acontecem geralmente à noite e acontece num alto astral incrível! Não existe competição e ninguém fica pra trás, pois os mais experientes vão dando força aos novatos. Sem contar que há uma grande interação social e a galera é super gente boa.


Confira amanhã: os benefícios do ciclismo para a saúde.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

ACEITA BALINHA?

Chego ao caixa de um conhecido supermercado de Parauapebas e pago a conta no valor de $74,70. Entrego $75,00 e a moça do caixa me pergunta se aceito balas de troco. Respondo: não, obrigado. Ela me olha com a cara feia, remexe na cadeira e com a maior mal vontade chama o auxiliar para procurar moedas. Os outros clientes na fila ficam impacientes e me olham como se eu fosse um ET. O auxiliar retorna e informa que não conseguiu os $0,30. Digo à caixa que pela lei do troco ela terá que me devolver o valor arredondado para mais, ou seja, $0,50, e ela impertinente responde: "mas eu não posso ficar no prejú. Fazendo questão por causa de $ 0,30?" Respondo: sim, no dia em que você aprender valorizar cada centavo vai estar numa situação bem melhor do que a de um caixa de supermercado. O povo na fila começa a protestar pela demora, e penso em ceder e sair sem o troco, pois não estou a fim de comprar balinhas.  Reflito, e resolvo exercer minha cidadania. Digo: moça, você não tem culpa por não ter troco e nem é justo pagar pelo prejuízo como afirma. Portanto, chame o gerente. Depois de alguns minutos, ela me devolve 0,50 centavos. 

Em outra situação, a caixa foi mais cara de pau ainda. Numa loja de eletrônico do Patage shopping, comprei uma caixa de cápsulas de café que custa $19,90. Dou $20,00, a moça guarda a nota e me diz: "muito obrigado". Respondo: por nada, mas o troco por favor. Me olha com uma cara estranha e me devolve os dez centavos. 

A lei do troco é tão antiga e mesmo assim, a maioria do povo brasileiro ainda não a conhece. Intitulada Lei Delegada número 4, de 26/09/62, art. 11, alínea i, bem como o Código de Defesa do Consumidor, art. 39, inciso I, e a Lei nº 8.137/90, art. 5º, inciso II, determinam que o comerciante é obrigado a providenciar sempre o troco, e caso não tenha, deve devolver o valor arredondado para mais. Exemplo: se o troco for de $ 0,25 e não tiver a moeda, deve devolver $0,30, $0,50 ou $1,00.

Não se trata de ser pão duro ou encrenqueiro. Exija sempre o seu troco, valorize cada centavo, pois quem não dá valor ao seu dinheiro é porque conseguiu de forma ilícita. É uma questão de educação, de cidadania. Imagine o quanto um supermercado não lucra ficando com pequenos valores ou fazendo venda casada de balinhas! Uma empresa não pode perder $ 0,20 e você pode perder $ 0,30? Se quiser doar seus centavos, doe a uma instituição filantrópica, mas não doe às empresas. Simples e prático.

Quando estive na Europa, percebi o quanto o povo europeu está evoluído no quesito economia. Lá, ninguém fica com um centavo seu. Em algumas vezes, paguei com cinco euros um produto que custava 4,99. Ao sair, o vendedor me chamou, dizendo que faltava eu receber o troco. Apenas um centavo. Isso é o que eu chamo de civilidade e educação!

Que tal decidir hoje exercer sua cidadania de maneira plena? Seja um centavo, exija, pois é seu. Não se importe com os comentários jocosos das pessoas sem consciência e nem dos vendedores maliciosos. Com certeza, você estará bem melhor do que eles.

Uma excelente ideia seria a Câmara dos vereadores aprovar uma lei que obrigue os estabelecimentos comerciais a fixar cartazes alertando aos consumidores sobre a obrigatoriedade de devolver o troco. Que tal vereadores?