Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de junho de 2015

POLÍTICA E A BANALIZAÇÃO DE DEUS

Igreja Municipal da Prosperidade


"Ai de vós, que sois como os sepulcros que não aparecem, e sobre os quais os homens caminham sem o saber" (Lucas. 11, v. 44)

Uma nova igreja está sendo fundada em Parauapebas. Trata-se da Igreja Municipal da Prosperidade. Pelo menos é o que parece estar se transformando a nossa Câmara dos vereadores. Cada dia mais a tribuna está parecida com um púlpito usado para pregações e homilias. Nunca vi o nome de Deus ser tão maltratado e usado de forma indevida como acontece ali.

Política e religião é uma mistura explosiva. Uma coisa é o político ter fé, proferir palavras de agradecimento a Deus. Outra coisa é usar o espaço na câmara para pregações que não condizem com suas práticas. Como vovó já dizia: "quando vejo um ser justificando demasiadamente seus atos em Deus, já sei que está tentando esconder a podridão. Sua alma está negra como o breu, e sua consciência está mais suja que privada de botequim". 

Nas sessões da câmara, é mais ou menos isso que estamos vendo. Alguns vereadores transformaram seus discursos em verdadeiras pregações carregadas de hipocrisia e sensacionalismo. Usam e abusam do nome de Deus, tentando justificar o injustificável. Quando há uma crise então, a coisa fica insuportável. Ao invés de discursos políticos na tribuna, assistimos pregações com muitas lamúrias e falsidade. Não sei se é falta de preparo, falta do que falar ou se trata mesmo de uma forma de dissimular culpas. Acho que vovó tinha razão.

Quando se usa o nome de Deus exageradamente em questões políticas é o mesmo que transformá-lo em um mero cabo eleitoral, um objeto. A casa de leis não é igreja e seu principal foco deve ser política e não religião. Está escrito no Livro Sagrado que Deus deu livre arbítrio ao homem. E esse livre arbítrio é total e irrestrito, para o bem ou para o mal.  Não se trata de um blefe. Quer dizer que Deus deu inteligência e oportunidades a todos os seus filhos, e eles tem a liberdade de usar para construir ou destruir. No final, tudo será medido e julgado. 

Pelas pregações que ouvimos nas sessões da câmara, dá a entender que esse livre arbítrio é só de brincadeirinha, e que Deus vem interferindo diretamente na política de Parauapebas e usando seus filhos como cobaias. Se não fizer a lição direitinho Deus vai mandar o GAECO e castigar os infiéis. Outra coisa que fica subentendido nas entrelinhas dos discursos é que o sujeito pode roubar, mentir, receber mensalão, trapacear, mas se fizer muita oração, pagar o dízimo e ser generoso nas ofertas, ficará de fora dos castigos de Deus.

Seria bom que essas pessoas levassem Deus mais a sério. Seria de bom grado se tais políticos arrependessem de verdade e confessassem seus pecados diante de Deus e dos homens. Só assim, teríamos a garantia de que não iriam voltar a cometer tais pecados. Seria de bom tom que nossos edis pregadores fizessem política de verdade, transformassem seus mandatos em instrumento de justiça e igualdade. Assim, estariam dando testemunhos verdadeiros de fé. Acho que Deus ficaria muito mais feliz.

10 comentários:

  1. A cidade tá cheia de avangelicos. Nao é so na camara nao. Nas nossas escolas parecem igrejas de tanta gente pregando nos intervalos. Mas na pratica nao muda nada. Só discurso vazio, de vidas vazias.

    ResponderExcluir
  2. Municipal da Prosperidade é ótimo.

    ResponderExcluir
  3. O pior é que pra cada pessoa assim existe um rebanho defendendo, aplaudindo e sustentando.

    ResponderExcluir
  4. quando Maride prega da vontade de vomitar.ali e lobo em pele de cordeiro. que Deus nos livre desses falsos profetas no próximo mandato .AMEM

    ResponderExcluir
  5. Luis eu sei que você está falando da irmã Luzinete mas tua vereadora é a quem mas fala o nome de Deus em vão na câmara e você não fala nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado(a) anônimo(a), em relação ao seu comentário, gostaria de esclarecer dois pontos:
      1- Não estou me referindo a vereadora Luzinete e nem a algum vereador em particular. Refiro-me a todos os que usam o nome de Deus indevidamente na tribuna;
      2- Não existe "minha vereadora". Não tenho compromisso e nem assessoro nenhum vereador. Há muito abandonei o mandato da vereadora Eliene por não concordar com os rumos e direcionamento politico que ela escolheu. Mas respeito a todos, independente das escolhas políticas. Afinal, nem só de política vive o homem.
      Obrigado e seja sempre bem vindo(a).

      Excluir
  6. Certo dia, Joãozinho tentava fisgar uma formiga com uma agulha. Mas a formiga era fugidia e, a cada golpe em vão, Joãozinho exclamava: "errei, Caralho".

    Uma vereadora que se diz "representante de Deus na Terra" estava passando e viu aquele palavreado feio... Mais do que depressa, chamou a atenção do Joãozinho: "menino, se continuares a falar palavrão, Deus vai te castigar". E o Joãozinho, nem aí: "errei, Caralho" ... "errei, Caralho" ...

    Após seguidas admoestações, a Vereadora perdeu a paciência e gritou com ele: "Em nome de Deus, a quem represento aqui em Parauapebas, eu te ordeno que pare de falar palavrão, senão Deus mandará um raio para te fulminar!"

    E o Joãozinho: "errei, Caralho" ...

    ... e ...

    KABUUUMMM !!!

    Um raio irrompe do céu e imediatamente trucida a cabeça da Vereadora, aniquilando-a.

    Joãozinho olhou, atônito.

    O céu se abriu e uma luz forte irradiou dentre as nuvens. Uma voz lúgubre exclamou:

    "Erreeeiii, Caraaaalhooo"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Joãozinho é doido de pedra. Caralhoooo!

      Excluir
  7. Luiz, eu não tenho tempo de assistir as sessões. Por isso não sei que está usando a tribuna para pregar religião. Fiquei curiosa. Quem estaria fazendo uma barbaridade dessa? Poderia dar os nomes desses hipócritas.

    ResponderExcluir